Reciclázaro na “Justiça pela Paz em Casa”

BASE MEIO RGB - 14.03.17-02Em comemoração aos 10 anos da Lei Maria da Penha, a COMESP – Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – realizou a 7ª Edição da Campanha Nacional “Justiça pela Paz em Casa”, no Fórum Criminal da Barra Funda – Complexo Judiciário Ministro Mário Guimarães, onde a Reciclázaro foi convidada a participar na qualidade de palestrante.

A Coordenadora do PROGAPI (Programa de Atenção à Pessoa Idosa), Fabiana Abdou Guergues apresentou a associação e todos os trabalhos desenvolvidos.

A orientadora socioeducativa da Casa de Simeão, Girlândia Santana fez um depoimento emocionante, comovendo a todos ao falar de seu profundo sofrimento como vítima de maus tratos em sua própria casa, sempre temendo pela sua vida e de seus filhos. Hoje, com um brilho nos olhos, ela ostenta orgulhosamente, a conquista de sua tão sonhada liberdade, regozijando-se pela profissão que abraçou, ao lado de seu novo amor e filhos.

A gerente da Casa Marta e Maria, Edwiges Chaves falou sobre a casa e sua missão, explanando com muita propriedade a triste realidade das mulheres e crianças que habitam seu centro de acolhida, enfatizando toda a dedicação e empenho de sua equipe em resgatar a autoestima de cada uma e devolvê-las, de uma maneira sadia e efetiva, à uma vida produtiva na sociedade.

A pioneira Maria D’Aguia Sousa Cordeiro, responsável pelo projeto incubado “Padaria Pão de Moça”, impressionou a todos com sua incomparável história de vida, demonstrando o real significado do “amor incondicional”, ao abrir mão de seu emprego de 12 anos, como orientadora socioeducativa da Casa de Marta e Maria, para liderar um projeto de geração de renda, ao lado de outras conviventes do centro de acolhida. Ao ser indagada sobre sua decisão, ela responde que seu grande sonho era poder realizar algo significativo com as mulheres que apoiava e, com muita dignidade, afirma que faria tudo novamente.

Para finalizar as palestras, a gerente de parceria do CAT – Centro de Apoio ao Trabalhador e Empreendedor – enfatizou sua disposição em auxiliar todas as mulheres a se recolocarem no mercado de trabalho, estendendo seu atendimento, inclusive na área jurídica.

Todos os participantes receberam uma ecobag personalizada do evento, com panfletos explicativos sobre a Lei Maria da Penha. Além de diversos brindes que foram sorteados no final, o evento terminou com um delicioso lanche, composto por deliciosos salgados e sonhos, fabricados pela Padaria Pão de Moça. 

Redação:

Assiantura-Comunicação-I